Recuperar Senha

Projeto TJC será implantado nas escolas de Pinhais

14 de abril de 2011 / 00:21

Na tarde desta quarta-feira (13), a Associação dos Magistrados do Trabalho da 9ª Região, o Tribunal Regional do Trabalho do Paraná e a Prefeitura de Pinhais assinaram termo de compromisso para a disponibilização de cartilhas sobre os direitos do trabalhador aos estudantes da rede municipal de ensino.

A iniciativa faz parte do Programa Trabalho, Justiça e Cidadania, idealizado pela Associação Nacional dos Magistrados do Trabalho (Anamatra), e que desde o início do ano vem sendo ampliado no Paraná por intermédio da Amatra IX.

“O TJC é uma ação solidária que envolve juízes do trabalho de diversas regiões do país na formação cidadã dos jovens, sendo fundamental o apoio de governos municipais para garantir o sucesso do programa”, afirmou o presidente da Associação, Carlos Augusto Penteado Conte.

Nesta primeira etapa, cerca de 200 alunos do 5º ano de quatro escolas de Pinhais serão beneficiados pelo projeto. A Secretaria Municipal de Educação indicará as instituições onde serão desenvolvidas as atividades, bem como os professores que participarão de cursos de capacitação ministrados pelos magistrados.

“O objetivo é difundir a cidadania entre as crianças e também aproximar a sociedade do Judiciário, desmitificando a idéia do juiz encastelado, inatingível e distante do cidadão”, ressaltou a vice-presidente do TRT-PR, desembargadora Rosemarie Diedrichs Pimpão.

A juíza titular da Vara do Trabalho de Pinhais e diretora de Relações Externas e Imprensa da Amatra, Odete Grasselli, lembrou ainda que o “juiz está aqui para servir o povo e essa aproximação com as crianças e os adolescentes contribui significativamente para a construção da cidadania no país”.

Participaram do ato solene de assinatura do documento, além do prefeito de Pinhais, Luiz Goularte Alves, da vice-presidente do TRT-PR e dos dirigentes da Amatra IX, a juíza Rosíris Ribeiro, titular da 14ª Vara do Trabalho de Curitiba, o diretor da Vara do Trabalho de Pinhais, Marco Aurelio Possobam, os procuradores de Pinhais Edson Galdino e Luciane Silva Jardim Cruz, e a secretária de Educação de Pinhais, Rosa Maria de Jesus Colombo.